3 mensagens não lidas

3 mensagens não lidas

Às vezes esperar por um email se torna uma obsessão. Há 36 dias estou à espera de um sim na minha caixa de entrada, mas no lugar dele vieram várias outras coisas que me tiraram do sério. Primeiro veio um quase-não na forma de suspensão de um processo consular. O meu mundo veio por água abaixo e acho que os meus cabelos caíram quase todos também. Na urgência louca e inflamada de tentar resolver o problema que nem era meu para resolver eu esperei por vários outros emails, mas o problema dessa comunicação quase que arcaica e que só serve mesmo para formalidades, trabalho e outras chatices é que cada vez que sobe o número de mensagens recebidas o coração acelera, e quase sempre se trata de uma decepção. Mesmo assim eu não largo meu celular; abro o app do Gmail como um tique nervoso, a cada poucos minutos, às vezes segundos. No computador, a aba do email nunca está fechada. Já não é consciente o meu constante monitoramento do canto superior esquerda da tela – enquanto escrevo esse texto já chequei pelo menos três vezes. Tenho 3 mensagens não lidas e são todas de trabalho, para amanhã. Vou resolver essas tarefas todas o mais rápido possível para poder zerar a contagem e poder dar espaço à ansiedade que enche minhas tardes e noites.

Tempo para ter tempo

Tempo para ter tempo

Estou ansiosa porque acho que não vai dar tempo e que logo vai ser tarde demais.

Vago isso, né?

Mas hoje a ansiedade brota dos emails de trabalho que não me respondem, emails que queria receber para saber do que vai ser do resto do meu dia, do meu amanhã, dos próximos seis meses.

Trabalhar de casa como freelancer não ajuda se você é uma pessoa que quer certezas na vida, mas foi a escolha que eu mesma fiz em nome da minha liberdade – que claramente não sei muito bem como administrar.  Continue lendo “Tempo para ter tempo”

Existe companhia na solidão

Existe companhia na solidão

Ansiedade é uma coisa muito louca. Na verdade, eu não sei te dizer qual patologia está agindo no momento, pode ser depressão, pode ser transtorno bipolar, pode ser ansiedade. Acho que nem os médicos sabem direito e também não acredito muito nesses rótulos específicos demais para…. enfim.

Mas uma coisa é real: a dor. É a sensação de não conseguir respirar, de desejar ser invisível para poder correr para o canto da sala de aula e chorar abraçando os joelhos, de querer arrancar sua pele e seus cabelos, abrir suas veias ou seja lá como isso se manifesta nas outras pessoas. Continue lendo “Existe companhia na solidão”

1kg de alimento não perecível e um rivotril, por favor

 

Hoje minha família resolveu trocar o religiosamente semanal almoço de domingo por zum passeio na Festa da Itália, que acontece todos os anos no meio da Savassi e, a cada edição, reúne uma multidão cada vez maior e mais sufocante.

Continue lendo “1kg de alimento não perecível e um rivotril, por favor”