1kg de alimento não perecível e um rivotril, por favor

A foto é do site BHAZ

Hoje minha família resolveu trocar o religiosamente semanal almoço de domingo por um passeio na Festa da Itália, que acontece todos os anos no meio da Savassi e, a cada edição, reúne uma multidão cada vez maior e mais sufocante.

Eu adoro festas que celebram outras culturas, ainda mais quando envolve comida. Se me chamam pra Festa Francesa, que acontece por volta de 14 de julho no mesmo bairro, eu vou também. Adoro comer uns crepes e ver uns franceses perdidos no meio da rua muito orgulhosos de… serem franceses. Mesma coisa com a Festa de Israel – que, felizmente, não acontece na meiuca da cidade e sim numa praça mais afastada, mais escondida. Talvez seja algo cultural, sei lá. Só sei que gosto também, não tanto pela comida mas pelos artesanatos e pelo turismo – Belo Horizonte tem muito pouca diversidade cultural.

O problema é que hoje vamos à Festa da Itália, que começa às 11h e é um desses eventos que reúne a classe média como num festival Axé Brasil em 1997. Se o Axé Brasil já era insuportável, a classe média bebendo comendo cannolis superfaturados e digladiando por mesas de plástico para celebrar a polenta! a pizza! o passaporte vermelho herdado do avô! torres de pisa infláveis! as massas em gerais!*

A minha ansiedade me fez acordar antes das oito da manhã em um domingo (eu me recuso a sair da cama antes das onze aos finais de semana), e me fez tomar banho e escolher uma roupa e secar o cabelo e ficar pronta, porque eu não consigo pensar em nada pior do que 1- chegar atrasada para um evento 2- me sentir compelida a brigar por uma mesa 3- passar raiva porque ninguém vai abrir mão de uma mesa 4- aceitar o destino fatal de ter que comer e beber sentada no chão da Savassi.

São agora 11h e minha mãe ainda não tomou banho e a minha tia está pintando o cabelo. [cries in pontualidade language]

Nada contra sentar no chão da Savassi, eu passei a adolescência inteira fazendo isso. Mas é que os domingos são os dias em que eu sento em volta de uma mesa cheia de aperitivos e tomo uma cervejinha com limão enquanto encho a cabeça da minha cunhada com os meus não-problemas amorosos.

Algumas tradições são sagradas, o meu almoço de domingo é uma delas. Mas pelo menos vai ter vinho?

Screen Shot 2017-06-04 at 11.14.20 AM

*Eu sei que é “em geral”, obrigada. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s