Domingo: um belo dia para ser um só 

Aprender a ficar sozinha é um processo de muitas etapas, e eu não falo só das etapas do luto.

É difícil entender que a sua companhia preferida para o falafel de terça não está mais disponível para você, ou que na sexta de folga você vai passar o dia na cama sozinha e vestida. É foda ver o sábado passar e não poder fazer planos para dois.

Fica mais fácil, você aceita que sua vida tem espaços a serem preenchidos, e até fica animada com as possibilidades de transformar a terça do falafel na terça da yoga, por exemplo.

Os domingos são difíceis até sob circunstâncias normais, então você inventa de assinar o jornal e adiantar alguns trabalhos de segunda.

Mas a gente só sabe mesmo que está superando o coração partido e resgatando a autonomia quando dá um mau jeito no ombro e sequer passa pela cabeça que seria melhor ter alguém ali pra passar um Salonpas e fazer uma massagem. E é com dor no ombro, e não no coração, que vou ver Largados e Pelados e comemorar toda vez que eles cortam a cabeça de uma cobra. ¯\_(ツ)_/¯

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s